sábado, 25 de fevereiro de 2017

QUANDO ME AMEI DE VERDADE

 Quando me amei de verdade, pude compreender que, em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa. Então pude relaxar. Pude perceber que o sofrimento emocional é um sinal de que estou indo contra a minha verdade. Parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento.

Comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma coisa ou alguém que ainda não está preparado - inclusive eu mesmo. Comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável. Isso quer dizer: pessoas, tarefas, crenças e qualquer coisa que me pusesse para baixo.

Minha razão chamou isso de egoísmo. Mas hoje eu sei que é amor-próprio. Deixei de temer meu tempo livre e desisti de fazer planos. Hoje, faço o que acho certo e no meu próprio ritmo. Como isso é bom! Desisti de querer ter sempre razão e, com isso, errei muito menos vezes. Desisti de ficar revivendo o passado e de me preocupar com o futuro. Isso me mantém no presente, que é onde a vida acontece.

Percebi que a minha mente pode me atormentar e me decepcionar. Mas quando eu a coloco a serviço do meu coração, ela se torna uma grande e valiosa aliada. Enfim, quando me amei de verdade, comecei a amar a vida como ela é e ser eu mesmo. Sem medo, sem rodeios, sem amarras... Apenas com um sorriso no rosto.

Ah, um sorriso, como isso muda vidas, assim como mudou a minha! Pode ser loucura para uns a maneira que vivo: sem rótulos, sem medo; apenas sorrindo. Mas, levar a vida, entrar no embalo! Ver que tudo depende de você mesmo, inclusive sua alegria ou suas lágrimas. Quando nos amamos de verdade, olhamos para o nascer de um novo dia e agradecemos a Deus. Ama-se a vida e a vida é Deus!

Não existe nada melhor que amar a vida, que ser você mesmo sem querer aparecer para ninguém, sem querer ou precisar da aprovação de ninguém, apenas fazendo o bem. Se eu puder deixar um conselho para sua vida, deixo:

"Faça tudo que pode para fazer alguém feliz, mas faça de coração, sem esperar recompensa; afinal, o bem que se faz para o outro se faz para si mesmo".
-Por Roger Stankewski