sábado, 25 de março de 2017

A ARTE DE SER VOCÊ MESMO SEM FERIR OS OUTROS

 Ser você mesmo é complicado, mas ser você mesmo sem prejudicar aqueles que o rodeiam é mais ainda. Na verdade, se agirmos como quisermos em todos os momentos muitas vezes trazem problemas ou, pelo menos, algumas dificuldades.

Agora, isso não significa que devemos nos curvar, mas temos que permitir-nos contemplarmos a vida com mais calma, analisarmos o que esperam de nós e o que esperamos dos outros. Isto irá moldar a nossa realidade e nossa atitude emocional naturalmente.

Já diziam na Grécia antiga o lema “conhece a ti mesmo.” Se o fizer, vai lhe dar a chance de viver sem limites e barreiras. Assim, ainda que os outros provavelmente queiram mudar alguma coisa em nós, deixaremos muito claro o que queremos mudar.
Muitas vezes encontramos o nosso destino no caminho que escolhemos evitar.

Como dissemos, não é fácil lidar com as expectativas e necessidades dos outros. Por esta razão, muitas vezes, nos recusamos tomar certos caminhos, pois acreditamos que iriam prejudicar aqueles que nos rodeiam.

O que não percebemos é que, com esses pequenos detalhes, estamos abandonando a nós mesmos.

Quando tomamos essas decisões, é hora de percebermos que as mentiras que contamos não nos causam tanto dando quanto as mentiras que vivemos. Ou seja, se começarmos a acreditar em nossos valores, estaremos começando a agir em conformidade.

“Agirmos de acordo com o que acreditamos que os outros esperam de nós faz-nos sentirmos medo e fraqueza. Esta falta de autenticidade é refletida em muitos momentos de nossas vidas.”
A dura realidade do auto-engano e falta de autenticidade

Ser você mesmo é uma arte para a qual não existem manuais ou fórmulas secretas, é algo que vem exclusivamente da essência de cada um. É natural que tenhamos dificuldade para nos mostrarmos como somos, pois somos ensinados a reprimirmos nossos sentimentos e emoções.

“Desta forma, criamos um exterior diferente de nossa essência, e vivemos em uma realidade que não nos pertence.”

A ideia é que não sejamos vitimizados pelos desejos dos outros. Se conseguirmos isso, estaremos muito mais perto de alcançarmos o bem-estar completo e satisfatório. Mantermos nossa alta estima e mostrar-nos como somos implica não gostarmos de todo mundo, mas é a atitude que nos oferecerá relacionamentos saudáveis, verdadeiros, sinceros e puros.

Sermos genuínos nos ajudará a ficarmos longe de falsidade, incentivando-nos a sermos nós mesmos em todos os momentos, o que por sua vez irá ajudar-nos a não perdermos o amor-próprio que devemos a nós mesmos.
Uma mensagem para trabalhar o amor-próprio.

Finalmente, lembre-se desta oração de Fritz Perls, que exemplifica perfeitamente como devemos amarmos a nós mesmos e nos comportarmos em relação a outros. É bom mantermos essas palavras perto de nós, porque se recorrermos a elas no momento certo, podem ser de muita ajuda e nos darão forças.

“Eu sou eu.

Você é você.

Eu não estou neste mundo para atender às suas expectativas

Você não está neste mundo para atender às minhas.

Você é você.

Eu sou eu.

Se em algum momento ou em algum ponto nos encontrarmos será maravilhoso.

Se não, não teremos o que fazer.

Falto com amor a mim mesmo

quando ao tentar agradar, me traio.

Falto com amor a você quando desejo que sejas como quero
ao invés de aceitá-lo como realmente é.

Você é você e eu sou eu.”

Fonte do texto: La mente es maravillosa - Traduzido pela equipe do site O Segredo - Via: https://osegredo.com.br/2015/09/a-arte-de-ser-voce-mesmo-sem-ferir-os-outros/