segunda-feira, 17 de abril de 2017

É DESTINO OU LIVRE ARBÍTRIO?

Por que tomamos uma decisão e não outra?
Por que abrimos uma porta e fechamos uma janela?

É destino ou livre arbítrio? É crescimento ou inquietação? Ou é apenas medo de receber mais um não?

É claro e sabido que naturalmente quando viramos a direita, deixamos a esquerda para trás e consequentemente nunca veremos o caminho da esquerda e mesmo que voltemos após um metro percorrido, o caminho já não será mais o mesmo.

Quanto a gente perde ao tentar ganhar? Quanto a gente ganha ao perder?

Cada decisão tomada é um tiro no pé e uma olhada para o céu na tentativa de buscar alguma coisa nova, o que não conheço, o que me falta, o que sinto que preciso conhecer. Cada nova estrada traz a magnitude de um novo horizonte, de um novo lugar, de um novo olhar.

Cada ausência sentida é uma ferida que não fecha, que aumenta, que às vezes é esquecida, mas facilmente renascida.
Por que decidimos ir e não ficar? Por que decidimos ficar? Por que decidimos rir e chorar? O que nos motiva a tudo abandonar, a não querer continuar, a querer mudar, a não mudar? A continuar, a tentar?

Por mais que eu leia, pense, questione, a pergunta continua sem resposta. É destino ou livre arbítrio? É crescimento ou inquietação? Ou é apenas medo de receber mais um não?

Caminho escolhido, não tão pensado, mas que muda até o passado, que nos faz existir apenas na forma de um retrato, de um lenço molhado.
Dolorida saudade que encanta a gente, baseado numa busca pelo crescimento, pelo renascimento. Dias que não mais voltarão, encontros que se perderão. Oportunidades falidas, vidas acompanhadas pela janela, vida que me faz sentir falta dela.
Por que entramos em uma porta e não em outra?


Por que a decisão te traz pra cá e não pra lá?
Se alguém souber uma resposta por favor ela me ajudará, me levantará e me fará a vida melhor enxergar ou no chão me fará ficar.
Já entendi que a resposta eu não vou ter, talvez é melhor mesmo nem saber, talvez seja melhor cada oportunidade aproveitar, na boca o gosto do não vivido deixar.

Talvez seja melhor com a imaginação a gente brincar, pois seja qual for a decisão, o caminho, a porta ou a janela, ela vai sempre acabar e só com memórias a gente vai ficar.

Fonte do texto: postado por Vania Della Torre no site O Segredo - via: https://osegredo.com.br/2017/02/e-destino-ou-livre-arbitrio/