O coração mais bonito

 Um jovem estava no centro da cidade, dizendo ter o coração mais bonito da região. Uma multidão o cercou e todos admiraram o seu coração. Não havia marca ou qualquer outro defeito.
Todos concordaram que era o coração mais bonito que já tinham visto e o jovem continuou muito orgulhoso por seu belo coração. Até que, de repente, um velho apareceu diante da multidão e disse:
” – Seu coração parece perfeito, mas eu não trocaria o meu pelo seu.”
A multidão e o jovem olharam para o coração do velho, que batia com vigor, mas estava cheio de cicatrizes. Havia locais em que pedaços tinham sido removidos e outros tinham sido colocados no lugar, mas esses não encaixavam direito, causando muitas irregularidades. Em alguns pontos do coração, faltavam pedaços.
O jovem olhou para o coração do velho e disse:
” – O senhor deve estar brincando… Compare nossos corações: o meu está perfeito, intacto; o seu é uma mistura de cicatrizes e buracos!”
A multidão riu da situação.
” – Sim!”, disse o velho. “Cada cicatriz representa uma pessoa a quem dei o meu amor. Tirei um pedaço do meu próprio coração e dei para cada uma dessas pessoas. Muitas delas deram-me também um pedaço do próprio coração para que eu colocasse no meu. Mas, como os pedaços não eram exatamente iguais, há irregularidades. Mesmo assim, eu as estimo, porque me fazem lembrar do amor que compartilhamos.”
E, cheio de emoção, concluiu:
” – Algumas vezes, dei pedaços do meu coração a quem não me retribuiu… Por isso, há buracos. Eles doem… Ficam abertos, lembrando-me do amor que senti por essas pessoas. Tenho esperança de que, um dia, elas retribuam, preenchendo esses espaços.”
A multidão silenciou. O jovem ficou calado e lágrimas escorreram pelo seu rosto. Ele aproximou-se do velho. Tirou um pedaço de seu perfeito e jovem coração e ofereceu ao velho, que retribuiu o gesto.
O jovem olhou para o seu coração, não mais perfeito como antes, mas mais belo que nunca! Os dois se abraçaram e saíram caminhando lado a lado, e o jovem ficou pensando:
” – Como deve ser triste passar a vida com o coração intacto!”


-Autor Desconhecido