O Último Desejo

Um preso condenado à pena de morte, a aguardar pela execução, pediu como último desejo um lápis e papel. Após escrever por vários minutos, o condenado chamou o guarda prisional e pediu que essa carta fosse entregue à sua mãe biológica.

A carta dizia:

"Mãe,
se houvesse mais justiça neste mundo, seríamos os dois executados, e não apenas eu. Você é tão culpada quanto eu pela vida que tenho levado.

Lembra quando roubei e levei para casa a bicicleta de um menino como eu? Você me ajudou a escondê-la, para que meu pai não descobrisse. Lembra quando roubei dinheiro da carteira do vizinho? Você foi comigo gastá-lo no Shopping. Lembra quando discutiu com meu pai e ele foi embora? Ele só queria corrigir-me por eu ter roubado o resultado final do curso, do qual acabei sendo expulso.

Mãe, eu era só uma criança… Pouco tempo depois, tornei-me um adolescente problemático e, agora, sou um homem bastante mal formado. Mãe, eu era apenas uma criança que precisava de correção, não de aprovação.

Mas mesmo assim, eu perdoo você! Só peço que faça esta carta chegar ao maior número de pais do mundo, para eles saberem que o que faz todos os homens se tornarem pessoas do bem ou do mal é a EDUCAÇÃO.

Obrigado, mãe, por ter me dado a vida e por ter me ajudado a perdê-la!

Assinado: seu filho delinquente"

Reflexão:

A educação é a arma mais poderosa que você pode usar para mudar o mundo! ( Nelson Mandela )

Educação e repreensão começam nos primeiros anos da infância, e duram até o último dia da vida. ( Pitágoras )

Educar as crianças, para que não seja necessário punir os adultos. ( Pitágoras )
- Texto adaptado por Anéria Lima