SOBRE AUTOSSABOTAGEM: CRENÇAS NEGATIVAS!

 É sabido que aplicamos diversos paradigmas diariamente em nossa vida, no intuito de facilitá-la. Absolutamente normal isso, uma vez que, se precisássemos pensar a cada instante para tomar decisões e fazer julgamentos, classificar e discriminar coisas e situações, levaríamos muito tempo.
E é aí que mora o problema.
Nossa vida é estruturada através de crenças, quer nos demos conta ou não disso. Desde pequeno, em seu seio familiar, você está acostumado a ouvir coisas das quais não poderia fazer julgamento e saber se era bom ou ruim. Por exemplo: você é muito inteligente, você é muito tímido, trabalhar é ruim, lave as mãos depois que pegar em dinheiro… Afirmações desse tipo acabam moldando os resultados que teremos em nossas vidas, caso não “desaprendamos” isso com as experiências posteriores.

Existe a chance de que as experiências que possamos vir a ter nos ajudem a mudar determinadas crenças e substituí-las por novas – melhores, que ampliem seu leque de boas possibilidades ­ –   ou mesmo reforçar as antigas. Só podemos ter controle sobre elas a partir do momento em que tomamos consciência de quais crenças nos prejudicam e quais no impulsionam para que alcancemos objetivos.
Hoje, o que te incomoda em sua vida? Você costuma culpabilizar o mundo externo pelo que acontece com você sempre da mesma forma, em uma situação parecida?
É hora de investigar quais crenças atuam em sua vida.
Para início de conversa, toda crença é limitante e mapa não é território.
As crenças sempre nos limitaram em um aspecto e nos impulsionaram em outro. A questão é que devemos desenvolver a habilidade de dosar as crenças para que alcancemos nossos tão almejados sonhos, ou a melhora em nossa qualidade de vida.

Quando falo em mapa, me refiro justamente ao modelo de mundo que carregamos dentro de cada um de nós. Isso significa que o modelo representacional que você possui de família, trabalho, relacionamentos, etc, jamais poderá ser entendido como a mais pura realidade. A realidade é o que você acredita que ela é, portanto, você utiliza o seu “mapa” para o guiar em sua jornada pela vida. A cada etapa da vida, acabamos percebendo que é necessário ampliar e modificar esse mapa, tornando-o mais repleto de boas possibilidades.

Para saber quais crenças não estão funcionando, basta olhar para sua vida e identificar o que não o está deixando feliz. Antes de qualquer nova atitude, vale ressaltar que cada um agirá a seu modo e a seu tempo: o que funciona para uma pessoa pode não funcionar para outra.
Toda a crença começa com um uma condicional: “ se eu fizer isso…”, “ Eu tenho que…”, “eu acho que…” mas será verdade? E se você resolvesse testar cada crença negativa que tem e que não lhe trouxe resultados até agora? Questione essas crenças, não se deixe no controle automático terceirizando a responsabilidade do seu bem estar.
É importante testar essas condicionais nas áreas de nossas vidas em que nos sentimos insatisfeitos, pois podemos estar deixando passar importantes vivências e oportunidades em nosso dia a dia.
Em alguns casos o indivíduo não consegue fazer isso, sozinho, então recomendo a ajuda de um profissional habilitado – Psicoterapeuta, coach, etc.
Somente quando atuamos sobre nossas crenças e valores é que abrimos espaço para que a transformação ocorra e nos permitimos ter novas atitudes; atitudes essas que trarão mais felicidade e vigor em nossas vidas.

Fonte do texto: https://osegredo.com.br/2016/09/sobre-autossabotagem-crencas-negativas/