sábado, 24 de setembro de 2016

SOBRE AUTOSSABOTAGEM: CRENÇAS NEGATIVAS!

É sabido que aplicamos diversos paradigmas diariamente em nossa vida, no intuito de facilitá-la. Absolutamente normal isso, uma vez que, se precisássemos pensar a cada instante para tomar decisões e fazer julgamentos, classificar e discriminar coisas e situações, levaríamos muito tempo.

E é aí que mora o problema.

Nossa vida é estruturada através de crenças, quer nos demos conta ou não disso. Desde pequeno, em seu seio familiar, você está acostumado a ouvir coisas das quais não poderia fazer julgamento e saber se era bom ou ruim. Por exemplo: você é muito inteligente, você é muito tímido, trabalhar é ruim, lave as mãos depois que pegar em dinheiro… Afirmações desse tipo acabam moldando os resultados que teremos em nossas vidas, caso não “desaprendamos” isso com as experiências posteriores.

Existe a chance de que as experiências que possamos vir a ter nos ajudem a mudar determinadas crenças e substituí-las por novas – melhores, que ampliem seu leque de boas possibilidades ­ – ou mesmo reforçar as antigas. Só podemos ter controle sobre elas a partir do momento em que tomamos consciência de quais crenças nos prejudicam e quais no impulsionam para que alcancemos objetivos.

Hoje, o que te incomoda em sua vida? Você costuma culpabilizar o mundo externo pelo que acontece com você sempre da mesma forma, em uma situação parecida?

É hora de investigar quais crenças atuam em sua vida.

Para início de conversa, toda crença é limitante e mapa não é território.

As crenças sempre nos limitaram em um aspecto e nos impulsionaram em outro. A questão é que devemos desenvolver a habilidade de dosar as crenças para que alcancemos nossos tão almejados sonhos, ou a melhora em nossa qualidade de vida.

Quando falo em mapa, me refiro justamente ao modelo de mundo que carregamos dentro de cada um de nós. Isso significa que o modelo representacional que você possui de família, trabalho, relacionamentos, etc, jamais poderá ser entendido como a mais pura realidade. A realidade é o que você acredita que ela é, portanto, você utiliza o seu “mapa” para o guiar em sua jornada pela vida. A cada etapa da vida, acabamos percebendo que é necessário ampliar e modificar esse mapa, tornando-o mais repleto de boas possibilidades.

Para saber quais crenças não estão funcionando, basta olhar para sua vida e identificar o que não o está deixando feliz. Antes de qualquer nova atitude, vale ressaltar que cada um agirá a seu modo e a seu tempo: o que funciona para uma pessoa pode não funcionar para outra.

Toda a crença começa com um uma condicional: “ se eu fizer isso…”, “ Eu tenho que…”, “eu acho que…” mas será verdade? E se você resolvesse testar cada crença negativa que tem e que não lhe trouxe resultados até agora? Questione essas crenças, não se deixe no controle automático terceirizando a responsabilidade do seu bem estar.

É importante testar essas condicionais nas áreas de nossas vidas em que nos sentimos insatisfeitos, pois podemos estar deixando passar importantes vivências e oportunidades em nosso dia a dia.

Em alguns casos o indivíduo não consegue fazer isso, sozinho, então recomendo a ajuda de um profissional habilitado – Psicoterapeuta, coach, etc.

Somente quando atuamos sobre nossas crenças e valores é que abrimos espaço para que a transformação ocorra e nos permitimos ter novas atitudes; atitudes essas que trarão mais felicidade e vigor em nossas vidas.

Fonte do texto: https://osegredo.com.br/2016/09/sobre-autossabotagem-crencas-negativas/

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

NÃO DEIXE PARA AMANHÃ O QUE VOCÊ PODE DEIXAR PRA LÁ

Muito já se disse e se escreveu sobre a necessidade de nos desapegarmos de tudo o que não faz mais sentido em nossas vidas e, mesmo assim, continuamos acumulando bagagens inúteis e que emperram o fluxo de nosso caminhar. Retemos dentro de nós mágoas, ressentimentos, utopias, promessas vazias, alimentando o que já se foi em vão. Temos, em vez disso, que aprender a jogar fora o que está obstruindo o nosso respirar, sem titubear.

Assim como os ambientes ficam intransitáveis, quando lotados de quinquilharias, nossos sentidos também não conseguem se renovar, se perdidos em meio a sentimentos negativos guardados dentro de nós. Por mais que seja difícil, é preciso deixar que as coisas vão embora e saiam de nós, para que possamos deixar nosso caminho livre para receber novidades que nos acrescentarão em todos os aspectos.

É preciso ter discernimento para saber o que merece ser mantido guardado conosco a sete chaves e o que deve ser deixado para trás, longe de nossas vidas, distante de nossa alma. Ficarmos remoendo, de forma passiva, o que fizemos ou não, o que fizeram conosco, o que dissemos ou deixamos de dizer, os amores que se perderam, o que não foi mas deveria, sem digerir tudo isso em favor de nosso ir em frente, apenas servirá como peso catalisador de tristeza sem fim. E gente triste não avança, não compartilha, não cresce nem encontra o novo, o recomeço.

Nossa felicidade também depende dos reveses que nos vitimam, para que se torne ainda mais especial quando se instala em nossas vidas. Todas as dificuldades por que passamos ajudam-nos a sorver os momentos felizes com mais intensidade e clareza, pois, tendo experimentado o gosto amargo da vida, seremos mais fortemente impelidos a buscar o sabor doce que os momentos certos e as pessoas amadas trazem consigo. Estaremos, então, prontos para agendarmos compromissos com tudo aquilo que nos ajudará a buscar a felicidade, desmarcando possíveis desencontros inúteis.

Gastamos muita energia à toa com gente que não nos ama, com coisas de que não precisamos, com sentimentos que só nos atrasam o enriquecimento pessoal. Em contrapartida, perdemos a chance de encontrar pessoas que nos amarão de verdade, de cultivar sentimentos positivos e edificantes, de contemplar a beleza do mundo ao nosso redor, enfim, deixamos escapar a felicidade que se encontra ao nosso dispor, todos os dias.
Não podemos deixar de nos importar com tudo e com todos, adotando uma postura fria e distante, para evitarmos o acúmulo de tranqueiras emocionais . Da mesma forma, não basta negar e enterrar o que de ruim nos acontece, sem o enfrentamento necessário daquilo tudo, para que não haja pendências. Devemos, sim, lidar com toda a nossa bagagem, corajosamente, libertando-nos de amarras vãs, de pesos inúteis, de lembranças doloridas, pois somente assim estaremos inteiramente prontos para receber o melhor que a vida nos reserva. E, acredite, tem muita coisa boa reservada para cada um de nós.

Escrito por Marcel Camargo – Via: http://www.sentimentosemfrases.com/nao-deixe-para-amanha-o-que-voce-pode-deixar-pra-la/

O PRIMEIRO PASSO PARA AMAR ALGUÉM É AMAR A SI

 Relacionamento não é contrato para a vida inteira. Nascemos sozinhos e assim será até o último dia de nossa existência. Todos já escutam...